mundosemuros@gmail.com

Aswan, a região da antiga Núbia – Egito

passeio de felluca no Rio Nilo em Aswan

Após nossa estadia em Bahariya Oasis fazendo Workaway, fomos conhecer o restante do Egito. Passamos por Cairo, Aswan, Abu Simbel, Luxor, retornamos para Cairo para entrar novamente no museu e nas pirâmides, e depois fomos aproveitar uns dias em Sharm El-Sheikh antes de ir para Israel. Neste post vamos falar especialmente sobre a encantadora cidade de Aswan, com algumas dicas para quem, como nós, viaja low cost, tentando economizar ao máximo. 

Aswan fica a 870km de Cairo. Lá é onde fica situada a primeira grande civilização negra da história e uma das mais antigas do mundo. É uma bela cidade, de paisagens lindas, sem a poluição do Nilo, que pode ser vista mais ao norte, e também é claro, mais tranquila comparado à capital. Aswan tem perto de 250mil habitantes e é o ponto de início para todos aqueles que querem visitar o templo de Abu Simbel.

Viajamos de Cairo cerca de 13 horas de trem 1° classe direto para Aswan (os trens são muito lentos e antigos). Pagamos 250 EGP cada, pois a diferença de 1° para 2° classe eram só 100 EGP. Lembrando que a moeda egípcia é muito barata, 1 real são cerca de 5 EGP. Entretanto, nos guichês de trem não é permitida a venda de tickets de 1° e 2° classe para turistas, somente para locais, por sorte um amigo egípcio em Cairo comprou para nós. Para turistas eles tentam empurrar um trem noturno especial, que é o olho da cara! O ideal é pedir para alguma pessoa local comprar, mas sempre tome cuidado com as gorjetas, porque no Egito pedem gorjeta até para passar informações e utilizar banheiro “público” – eles ficam na porta cobrando todos -. Também existe a opção de comprar diretamente pelo site oficial da Autoridade Ferroviária do Egito.

Havíamos bookado um hotel pelo Booking, mas ao chegar lá, eles disseram que este valor informado, era apenas para locais, que tínhamos escolhido o quarto errado. Então, como tínhamos um guia que iria nos ajudar a realizar os passeios (mas não iria conosco nos lugares), amigo do Loly (onde fizemos Workaway), ele nos indicou outro hotel bem perto. Nós recomendamos o hotel El Salam, pois foi relativamente barato e confortável, além de ser de frente para o Rio Nilo. 

Como chegamos perto do meio dia muito cansadas do trem, descansamos um pouco no hotel e pela tarde fomos fazer o passeio de Felucca no Rio Nilo. Esse passeio é chamado de Felucca Sunset. Lindo demais! Passamos também pela Vila Núbia, que vamos comentar logo abaixo.

Por sorte, caminhando na rua principal ao entardecer, conhecemos um dono de Felucca que nos ajudou a comprar algumas comidas (o preço para egípcios é cerca de 5x mais barato do que para turistas) e nos convidou para tomar chá e comer algumas frutas no barco dele. Ele se mostrou um homem bem amigável (diferente da maioria que só querem seucdinheiro). Então, conseguimos um lindo passeio noturno gratuíto, na tranquilidade do Rio Nilo. Uma das várias coisas legais que aconteceram conosco nesse 1 mês de Egito.

No dia seguinte conhecemos o Obelisco Inacabado, o Aswan High Dam Memorial, a Represa Aswan Alta e o Templo de Philae. Meia noite a van compartilhada nos buscou no hotel para irmos ao MARAVILHOSO Templo de Abu Simbel. Foi muito cansativo, mas foi o lugar que mais gostamos no Egito. Ainda mais por ser um dia especial, um festival que acontece apenas duas vezes ao ano, aonde os primeios raios de sol conseguem adentrar  no templo.

Dica muito importante: quando for entrar em qualquer atração turística, principalmente nos templos, vão estar cheios de egípicios tentando “pescar” os turistas para pedirem gorjeta. Eles te puxam para um canto em lugares estratégicos e mostram alguma paisagem diferente ou se oferecem para tirar foto (tanto de você quando deles) e logo depois ficam atrás pedindo dinheiro.

Também sempre leve óculos de sol, roupa confortável, água e lanche. Comprar em ponto turístico será sempre muito mais caro e barganhar com eles é MUITO estressante!

O valor que pagamos para o guia foi 375 EGP (cada). Mas esse valor não incluiu as entradas nos locais (o que mais gastamos na viagem toda, sem dúvidas).

Segue abaixo as informações mais detalhadas a respeito destes lugares, mas antes, confira nosso vídeo para ficar com o gostinho de “preciso ver isso de perto”:

Felucca Sunset e Vila Núbia

O Felucca Sunset nos levou até a Vila Núbia, passando por uns locais lindos! O passeio vale muito a pena, é uma ótima oportunidade de desestressar do caos da cidade. Até tiramos os tênis e aproveitamos colocar os pés na água.

A Núbia é uma região da África que compreende parte do território do Egito e Sudão. O povo núbio é conhecido como “os negros do Egito” e seus costumes e população ficaram por anos separados no resto do país. Eles formam uma das civilizações mais antigas do mundo. As casinhas coloridas são lindas e é possível passear em meio as ruelas. Mas logo que desembarcar eles já nos convidam para entrar, tomar chá e conhecer o artesanato.  Então se você quiser apenas conhecer e não gastar, diga só muito obrigado e continue andando (não converse muito! no fim da viagem percebemos que o truque é: não olhe nos olhos e não responda… Se você quiser ser amigável terá de pagar o preço de se estressar com eles tentado te vender algo). Existem partes da Vila que são intocadas pelo turismo, mas como o Egito é uma grande rede turística, sempre vão te levar aonde você está propenso a comprar algo.

Após terminar o passeio, mesmo que o valor já estivesse acertado pelo guia, ele irá pedir alguma gorjeta.

  • Valor: O valor já estava acertado dentro dos 375 EGP para o guia, e não demos gorjeta, pois estávamos sem troco.

passeio de felluca no rio nilo em aswan

simpático barqueiro núbio em aswan egito

O nosso simpático barqueiro

felucca no rio nilo em aswan

casas coloridas vila núbia egito

Uma das casas muito coloridas da Vila Núbia

Obelisco Inacabado

Um monumento que não foi terminado, mas que ficou tão conhecido como os demais obeliscos do Egito. Com ele podemos ter uma idéia de como os antigos egípicios esculpiam e construíam essas imensas esculturas. Ele se localiza dentro de uma pedreira, você caminha um pouco até se deparar com o gigantesco obelisco, o maior conhecido. Se concluído, ele teria medido cerca de 42 metros e teria pesado cerca de 1.200 toneladas. Porém, não se sabe ao certo o que aconteceu, pode ter sido o calor ou algum erro de projeto que causou uma rachadura que impediu a continuidade da construção.

  • Valor: 60 EGP.

obelisco inacabado em aswan Egito

Represa Aswan Alta

No Egito, em anos de seca, não havia água suficiente para cultivar a terra ou para utilizar na vida cotidiana. Em outros anos o volume de água era tão grande que o rio Nilo alagava, destruindo as colheita. Essa barragem foi a primeira grande tentativa de se gerenciar a água do Nilo para dar conta das enchentes e também da seca, executada pelos britânicos entre 1899 e 1902. Porém, com a construção desta barragem, muitos sítios arqueológicos tiveram que ser removidos ao custo de mais de US$ 40 milhões. A barragem é muito importante para a cidade, mas não é uma atração que nós recomendamos, cremos que a visita poderia ter sido substituída por outro local.

  • Valor: 30 EGP.

Monumento Árabe-Soviético

Este monumento foi uma homenagem à ajuda da URSS para a conclusão da represa. Foi interessante a nossa visita, pois equanto estávamos no local, muitas crianças e adolescentes locais iam chegando e nos pedindo para tirar fotos com elas. As crianças realmente estavam empolgadas e disputavam quem iria tirar foto conosco. Durante nossa viagem isso aconteceu muitas vezes, em praticamente todos pontos turísticos. O monumento é lindo e muito alto (70 metros), olhar para cima bem no centro dele, com as nuvens passando, causa a impessão que tudo está se movimentando.

  • Valor: Gratuíto.

monumento árabe soviético em aswanmonumento árabe soviético em aswan no egito

Templo de Philae

O Templo de Philae é dedicado a Deusa Ísis, deusa da maternidade, fertilidade, pureza e sexualidade. Toda a sua história está retratada nas paredes do templo. Sua maior devota era Cleópatra, que atravessava o Rio Nilo para fazer visitas pedindo proteção e orientação. Para acessar o templo foi necessário pagar um barquinho, pois ele se localiza em uma ilha! 

Embora ele esteja em uma ilha, o templo não está mais em seu local original. Na época da construção da barragem, nos anos 1950, a ilha de Philae estava na zona de alagamento. O templo sofreu com estes alagamentos, perdendo as cores das paredes, mas continuou de pé. Então em 1970, a UNESCO criou um projeto de salvação. Eles desconstruíram o templo em 40 mil peças e depois o reconstruíram, pedra por pedra, numa ilha vizinha, a Agilkia, onde está até hoje.

O templo é maravilhoso, mas pena que só passamos uma hora lá dentro. Na hora de deserbarcar do barquinho ele te pergunta quanto tempo você vai ficar e ele fica esperando. Dissemos 1 hora, pois não sabíamos que era tão grande, ainda mais para fotografar e filmar. Então se você puder, fique mais tempo para aproveitar bem!

  • Valor do barco: 120 EGP.
  • Valor da entrada do templo: 100 EGP.

mulheres no templo de philae no egitomeninas segurando a mão  templo de philae egitomaravilhoso templo de philae em aswangrandes paredes com hieróglifos no templo de philaeparedes com hieróglifos templo de philaedetalhes templo de philae no egito

Esperamos que gostem!

Para acompanhar nossas aventuras, se inscrevam lá no canal do YouTube e no Instagram.  

Qualquer dúvida ou dica deixe aqui nos comentários!

 

 

 

5 comentários

  1. […] da nossa estadia em Aswan, partimos a meia noite com uma van compartilhada  (já incluso no valor total que pagamos em […]

  2. […] estadia em Baharya Oasis fazendo Workaway, fomos conhecer o restante do Egito. Passamos por Cairo, Aswan, Abu Simbel, Luxor e Sharm El Sheikh. Neste post vamos falar especialmente sobre a incrível cidade […]

  3. […] estadia em Baharya Oasis fazendo Workaway, fomos conhecer o restante do Egito. Passamos por Cairo, Aswan, Abu Simbel, Luxor e Sharm El Sheikh. Neste post vamos falar especialmente sobre a incrível cidade […]

  4. […] nossa estadia em Aswan, passando por Abu Simbel e posteriormente em Luxor, foi a vez de voltarmos para Cairo, para […]

  5. […] Bahariya Oasis partimos para conhecer Aswan, Abu Simbel, Luxor, Cairo e Sharm El Sheikh. Não fizemos post especial sobre Sharm, mas ficamos na […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *